Conteúdos que ajudam sua corretora superar limites

Por que usar design thinking em uma corretora de seguros?

Você já parou para pensar em como resolve os problemas da corretora? Normalmente, quando precisamos achar uma solução, a primeira coisa que vem à cabeça é: “Como podemos resolver isso de maneira rápida?”

Porém, esquecemos de entender realmente qual é a origem do problema e que, talvez, a melhor maneira de resolvê-lo não seja a mais rápida. É aí que surge a importância do design thinking.

Mas o que é design thinking?

Para melhorar a assertividade e apresentar soluções que realmente atendem o que o cliente espera, surge a abordagem design thinking, que nada mais é que um conjunto de métodos e processos para resolver problemas buscando entender qual é a real necessidade do cliente.

Steve Jobs, fundador da Apple é conhecido pela frase “…usuários não sabem o que querem…”. Ele foi famoso por apresentar soluções para problemas que os consumidores nem ao menos imaginavam ter, essa é outra situação em que o design thinking funciona muito bem: prevenir problemas.

Steve Jobs foi um dos grandes adeptos do design thinking.

Steve Jobs foi um dos grandes adeptos do design thinking.

Princípios do design thinking

  • É focado no usuário;
  • Utiliza uma abordagem que dá foco ao problema e usa empatia (colocar-se no lugar do cliente);
  • Apresenta soluções que realmente resolvem o problema e facilitam a vida do usuário.

Design thinking em corretoras de seguros

Poucos corretores de seguros sentem na pele a dificuldade descrita pelo seu cliente antes de pensar em uma solução. Talvez seja comum você ouvir reclamações como: “Eu nunca sei quando meu seguro vai vencer, pois a corretora não me avisa”, mesmo que você já envie uma mensagem no WhatsApp todo mês avisando sobre o vencimento do seguro.

Então logo vem uma solução à sua cabeça: “Vou enviar um e-mail também”. Mas com o design thinking, você descobre que essa solução, tomada de imediato e sem estudo, pode não ser a ideal. É interessante que você se coloque no lugar do cliente para entender questões como:

“Por qual motivo o aviso por WhatsApp não está funcionando?”

“Por que meu cliente quer saber sobre o final da vigência do seguro? Será que é para pedir novas cotações ou simplesmente para renovar?”

Estabelecidos os questionamentos do problema, busca-se a solução através das 5 etapas de design thinking.

Etapas do design thinking

1 – Entender

Na primeira fase é o momento de usar a empatia, se colocar no lugar do cliente e sentir a dor que ele sente sem pensar em soluções. Levante os pontos em que ele tem problemas e explore as dificuldades que ele enfrenta. Essa fase também é chamada de imersão.

2 – Definir

Na segunda fase entra a máxima: “Definir o problema certo é a única maneira de chegar à solução certa”. Após reunir todos os possíveis problemas e dificuldades da primeira etapa, aplique uma seleção para definir os principais ou o principal problema.

3 – Idealizar

Na terceira fase é onde você irá pensar em diversas soluções para o problema levantado. Uma dica é utilizar o brainstorm, uma chuva de ideias. Reúna sua equipe e levante possíveis soluções, nenhuma ideia deve ser desprezada e todos devem ter oportunidade de falar. Após realizado o brainstorm, deve ser feita uma filtragem para selecionar as melhores sugestões.

Quanto mais ideias, melhor. Estimule sua equipe.

Quanto mais ideias, melhor. Estimule sua equipe.

4 – Prototipar

A quarta fase é muito importante. É onde reúnem-se as ideias mais viáveis e protótipos antes de sair criando soluções que não serão usadas, isso evita perder tempo com ideias mirabolantes, que gastam muitos recursos e que não solucionam o problema.

5 – Testar

A quinta e última fase é onde entra em prática a ideia / solução encontrada, é importante receber e analisar os retornos que ela gerou e, se for o caso, voltar uma etapa para selecionar outra ideia / solução. É possível também que seja necessário voltar a qualquer uma das outras fases, caso não tenha surgido um resultado satisfatório.

Como fazer o design thinking dar certo?

O mais importante para fazer o design thinking funcionar é manter-se ouvindo, pensando, criando, validando e aprendendo o tempo todo. Além disso, não esqueça dos valores do método: Empatia, trabalho em equipe e experimentação.

Ketchup heinz design thinking

Já parou para pensar por que o ketchup da Heinz tem a tampa virada para baixo? Lembre-se de quantas vezes você teve que bater no fundo das embalagens tradicionais para o molho descer.

O design thinking muda a nossa forma de ver o mundo, a partir do momento em que você o conhece e o entende, reavalia a forma de encontrar soluções para problemas corriqueiros.

Agora, lembre-se de aplicar o design thinking nos próximos problemas que surgirem na sua corretora de seguros!

Anderson Balduino

Anderson Balduino

Anderson Balduino formado pela UTFPR em Análise e Desenvolvimentos de Sistemas trabalha na Quiver há mais de 7 anos, começou como desenvolvedor e atualmente trabalha na análise de sistemas, passou por diversas fase da empresa, desde certificações a processos de qualidade e testes. Entusiasta de meditação e esportes, descobriu que meditação pode transformar a forma que uma pessoa vê o mundo.

Acesse nossos conteúdos Quiver

Criados por especialistas Quiver para ajudar sua corretora superar limites